Virtualização, automação e divisão de redes aumentam a demanda das operadoras por testes de rede

O ano passado foi um campo de provas para redes com e sem fio em todo o mundo, com milhões de pessoas trabalhando remotamente e educando crianças em casa. Apesar dos aumentos substanciais no tráfego, as redes de hoje em grande parte atenderam aos desafios globais criados pela pandemia.

Na pesquisa, 85% dos entrevistados afirmaram que as visitas presenciais dos técnicos da rede foram reduzidas ou eliminadas como resultado da pandemia, embora 78% tenham dito que a mudança foi temporária. Mais de 55% dos provedores de serviço relatam uma transição do teste baseado em instrumento para o remoto virtualizado, com 7% dizendo que a mudança é permanente. A fim de manter a qualidade da experiência durante a pandemia, pelo menos 30% dos provedores de serviços aumentaram a dependência de contratados para garantia da qualidade da rede.

Mais de dois terços (70%) dos CSPs identificam o desempenho da rede de acesso como o fator que mais impacta a experiência do assinante, com o desempenho da rede de transporte (41%) e o desempenho da rede central (37%) sendo também preocupantes. Uma grande maioria (93%) acredita que o teste melhora a satisfação do cliente e reduz a rotatividade.

 

Pontos adicionais

• Apesar dos desafios trazidos pela covid-19, apenas 22% dos CSPs reduziram temporariamente o número de casos de teste realizados, demonstrando o valor das verificações e garantia.

• Quase 80% dos provedores de serviço concordam que o teste no front end reduz despesas operacionais necessárias para corrigir problemas posteriormente.

• Quando questionados sobre as fontes de soluções de teste, medição e garantia, 89% dos entrevistados concordaram que os fornecedores especializados nesta área eram essenciais para o desempenho da rede.

• 78% concordam fortemente que o monitoramento e a garantia da rede usando inteligência artificial (IA) e automação são necessários para a otimização.